Sun. Jun 26th, 2022


EarthGang: “Amigos Fortes”

A dupla de Atlanta EarthGang, Olu O. Fann (também conhecido como Olu ou Johnny Venus) e Eian Undrai Parker (também conhecido como WowGr8 ou Doctur Dot), revelou seu próximo capítulo reconfortante do lançamento de fevereiro Deuses do Gueto, o aguardado segundo álbum da gravadora de J. Cole, Dreamville. A forte dose de empatia da música serve como um bálsamo para nossos tempos de polarização, já que WowGr8 oferece uma palavra de cautela contra descartar os outros muito rapidamente: confiei que você tentou dizer/ Todos nós temos nossas diferenças, referências, preferências/ Influências, pode ser esmagador/ Tentando ficar mentalmente saudável.”

Esses amigos do ensino médio e co-fundadores do coletivo Spillage Village fazem comparações frequentes com os estadistas mais velhos do hip-hop de Atlanta OutKast, em grande parte porque os dois são contadores de histórias tão atraentes que colocam o “verso” em “versátil”. De fato, este é o quarto single do EarthGang, uma continuação de “Amen”, “All Eyes On Me” (apresentado em uma trilha sonora de Atlanta em janeiro) e “American Horror Story”. O último deles, lançado apenas uma semana antes de “Strong Friends”, é uma reflexão assombrosa sobre as repercussões duradouras da escravidão e do racismo, e merece uma audição consecutiva.

“Strong Friends” também é supostamente uma das favoritas de Olu, tudo sobre “desabafar”, e mostra sua habilidade de cantar. O álbum conta com colaborações de Future, Baby Tate, Nick Cannon e da realeza da Dungeon Family Cee Lo Green, entre muitos outros. A revista de música NME chamou a obra de “o epítome de Atlanta, mostrando uma mistura inebriante de notas clássicas de jazz misturadas com os sons modernos de trap nascidos de sua cidade natal”.

::

Intrusos Puros: “Assim como todos os outros”

Em um grande golpe para os fãs indie de Atlanta, a banda em ascensão Pure Intruders agora pode chamar esta cidade de sua casa, depois que dois terços do trio se mudaram recentemente para cá de Chicago. Os dois transplantes são a cantora Madeline Smith e o tecladista Brandon Suarez, que uniram forças (após a dissolução de sua banda de cinco integrantes em Windy City, Our Fathers) com o guitarrista/baixista de Atlanta Jonathan Noel.

O que começa como um spinoff da abertura pesada de sintetizadores para Coisas estranhas (que é em si, claro, uma homenagem às partituras de John Carpenter, entre outros) dá lugar a algo mais doce, efervescente e mais introspectivo. A banda mistura sem esforço samples de jazz, disco dos anos 70 e new wave dos anos 80 e indie moderno.

Sobre suas influências originais, Smith disse à publicação de música online com sede em NYC/LA Batimentos por minuto, “Comecei a tocar guitarra quando tinha 13 anos com meu pai, mas na verdade era apenas uma desculpa para passar mais tempo com ele. Costumávamos tocar e cantar todos os tipos de covers de folk e country de nomes como Lucinda Williams, Gillian Welch, John Prine, Neil Young, Bob Dylan e especialmente Johnny Cash”.

Seguindo os passos de Johnny Cash, conforme descrito em sua autobiografia, ela optou por se concentrar em manter sua voz em seu estado natural. Essa voz foi comparada a Lorde, mas também desliza com uma qualidade de Phoebe Bridgers enquanto ela entoa: “Todo mundo quer algo; Não estou tentando procurá-lo na multidão.” Este single é o primeiro do próximo álbum de estreia do Pure Intruders, Viva um pouco, prestes a cair neste verão. Em 2021, o grupo lançou o EP Sem ressentimentos.

::

Diário de Guadalcanal: “Sempre sábado”

Esta faixa vintage irônica da semana, que segue um modelo similarmente sarcástico como “Nothing But Flowers” ​​do Talking Heads, surgiu anos após a formação da banda em 1981 e seu amado EP de 1983 Watusi Rodeio. Foi incluído em 1989 Chinelo de dedo, um nome talvez profético para a recepção mista que a oferta recebeu. Infelizmente, também marcou o último álbum completo do grupo antes de se separar. O show de despedida do Guadalcanal Diary foi realizado gratuitamente na Universidade da Geórgia, embora a banda se reunisse novamente mais tarde em vários pontos pós-Y2K.

O guitarrista Jeff Walls e o vocalista Murray Attaway se conheceram no ensino médio e se juntaram a uma banda punk chamada Strictly American. Eles adicionaram Rhett Crowe e John Poe à mistura e se rebatizaram de Diário de Guadalcanal por sugestão do colega de quarto de Attaway, após o título de um romance da Segunda Guerra Mundial de Richard Tregaskis.

Na época da ascensão da banda, Athens tinha a reputação de ser o núcleo vulcânico do rock alternativo e, de fato, Walls trabalhava na Wuxtry Records na cidade universitária. Não é à toa que eles muitas vezes se autodenominavam um grupo de Atenas, em vez de Atlanta (mesmo tendo assinado com a DB Records, com sede em Atlanta). E embora eles nunca tenham conquistado o mesmo nível de fama e glória que seus companheiros georgianos REM, eles ganharam seguidores decentes e até ganharam um lugar na lista dos 80 melhores álbuns da década de 1980 da revista Paste, para os de 1987. 2×4.

Walls, que passou a tocar com bandas como Hillbilly Frankenstein e os Woggles (onde passou pelo apelido de Spinal Tap “Flesh Hammer”), faleceu em 2019. Ainda assim, seu lugar na cena musical de Atlanta é aquele que transcende a natureza efêmera da mudança de gosto musical e modismos. Como ele uma vez sabiamente disse Vagando criativo, “O melhor trabalho que já fiz, a única coisa que impressionou muito alguém, foi o resultado de eu tentar impressionar a mim mesmo e a mais ninguém. É importante lembrar que, para cada música de sucesso, sempre havia algum chefão no comando que queria anulá-la. E para cada música horrível que você pode citar, havia algum idiota na cadeia que estava convencido de que era um sucesso garantido.”

::

Alexis Hauk escreveu e editou para vários jornais, semanários alternativos, publicações comerciais e revistas nacionais, incluindo Tempoa atlântico, Fio Mental, Uproxx e Washingtoniano revista. Tendo crescido em Decatur, Alexis retornou a Atlanta em 2018 depois de uma década morando em Boston, Washington, DC, Nova York e Los Angeles. De dia, ela trabalha em comunicação de saúde. À noite, ela gosta de cobrir as artes e ser o Batman.



By admin