Mon. Aug 15th, 2022


Como parte de Revista de dançaEm junho de 1987, na edição de 60 anos da revista, o então editor-chefe William Como escreveu uma retrospectiva sobre o American Ballet Theatre para acompanhar uma série de fotografias (incluindo a acima) dos primeiros anos da companhia. Fazia pouco mais de um ano que uma de suas primeiras e mais antigas diretoras, Lucia Chase, havia morrido aos 88 anos.

Chase era um membro original da empresa, que surgiu da trupe de Mikhail Mordkin no final da década de 1930 e deu sua primeira temporada, sob a direção de Richard Pleasant, em 1940. Embora ela fosse muitas vezes identificada erroneamente como fundadora da ABT, Chase foi rápida em corrigir a afirmação em entrevistas: “Ao longo dos anos, as pessoas insistiram em dizer que sim, mas não posso reivindicar a honra”, ela nos disse na edição de agosto de 1971. “Nos anos 30, eu era jovem e irresponsável, e estava feliz simplesmente por poder dançar. Eu não sabia nada sobre administração de empresas e não tinha ambições.” Ela se tornou co-diretora com Oliver Smith em 1945, continuou como membro da empresa até 1960 (embora ela ainda aparecesse, de forma memorável, em papéis de personagens pelo resto de sua direção, particularmente como a mãe do príncipe em Lago de cisnes) e permaneceu no comando até sua aposentadoria em 1980.

Ela foi uma das primeiras e mais firmes financiadoras da ABT e procurou, em seus 40 anos de companhia, promover e proteger a noção de uma companhia de balé verdadeiramente americana com um repertório eclético e teatral que animara sua fundação. A ABT visitou todos os estados dos EUA continentais em 1954 (adicionando o Alasca e o Havaí em 1965), foi a primeira companhia de balé americana a dançar na União Soviética em 1960 e tornou-se um centro para estrelas de balé nacionais e internacionais.

“Perseveramos por amor e respeito”, disse Chase em 1971. Ela recebeu o prêmio Dance Magazine em 1957 e a Medalha Presidencial da Liberdade em 1980.

By admin