Sat. Aug 13th, 2022


Nota do Editor: Este artigo foi publicado originalmente em novembro de 2017.

As duas trilhas sonoras mais vendidas de todos os tempos comemoram marcos em novembro, com Febre de Sábado a Noite fazendo 40 anos e O guarda-costas completando 25 anos. Com isso em mente, decidimos dar uma olhada no que exatamente torna a trilha sonora de um filme ótima, algo que parecia muito mais fácil no papel do que na execução.

Encontramos muitas trilhas sonoras que se destacaram por usar músicas sutis na periferia de cenas cruciais, e também encontramos filmes que colocaram a música direto na história, como parte do enredo ou até mesmo como personagem. Encontramos aqueles filmes que fizeram sucessos de músicas obscuras, ao mesmo tempo em que levamos em consideração filmes que sequestraram uma música popular e a tornaram indistinguível do próprio filme. Mais importante, analisamos as trilhas sonoras que aprimoraram o filme e andaram de mãos dadas com seu tom e história, dando a você uma visão maior das cenas principais e do crescimento do personagem.

Nós evitou musicais, filmes de bandas, filmes de concertos e partituras a este respeito, concentrando-se apenas no melhor uso da música popular no cinema, vasculhando filmes dos anos 60 até 2017 até termos nossas escolhas. Como em qualquer lista desse tamanho, é provável que haja divergências, bem como algumas trilhas sonoras que deveriam ter sido cortadas. Deixe-nos saber o que você acha que perdemos, mas enquanto isso, sente-se e faça uma viagem rápida pela música no cinema com nossas escolhas para as 100 melhores trilhas sonoras de filmes de todos os tempos.

–Doug Nunnally
Escritor Contribuinte


100. Juno (2007)

juno As 100 melhores trilhas sonoras de filmes de todos os tempos

A comédia dramática de Jason Reitman e Diablo Cody sobre uma adolescente desajustada que se encontra grávida de dois meses e decide ter e adotar seu bebê acerta muitas coisas. Uma delas é uma trilha sonora que quase funciona como um monólogo interior para o personagem-título. Enquanto Juno MacGuff pode gostar do poder bruto de Iggy e seus Stooges, ter a voz suave e letras excêntricas da veterana indie Kimya Dawson flutuando durante as transições ou quando Juno enfrenta um momento difícil parece uma combinação muito melhor. Reitman ficou tão impressionado com a música de Dawson que ele a fez regravar instrumentais e cantarolar para usar nas cenas e encomendou a Mateo Messina para usar seu estilo como base para as partes pontuadas do filme. O resultado final é uma trilha sonora de momentos inesquecíveis como Juno e Paulie cantando “Anyone Else but You” e este último completando sua rotina matinal com a brilhante “A Well Respected Man” dos The Kinks. Mago. – Matt Melis


99. Batman para sempre (1995)

batman para sempre As 100 melhores trilhas sonoras de filmes de todos os tempos

Quanto menos se falar sobre os filmes do Batman de Joel Schumacher, melhor, mas a trilha sonora deve ser louvada em sua primeira tentativa. Embora apenas algumas de suas músicas apareçam no filme, a trilha sonora pega a bola que Schumacher tão casualmente deixou cair com uma mistura profunda que ajudou a ilustrar a natureza corajosa de Batman, a ousadia empoderada de Robin, a depravação maníaca de Charada e a angústia fraturada de Duas-Caras – todas as coisas. efetivamente ausente na visão intrusiva de Schumaker. Não chega a atingir a marca elevada da interpretação de Prince, mas graças à música poderosa de Seal e à jóia surpreendente do U2, definitivamente chega perto. –Doug Nunnally


98. O Karatê Kid (1984)

the karate kid As 100 melhores trilhas sonoras de filmes de todos os tempos

Olhar, O Karatê Kid é basicamente Little Rocky. Você tem o diretor John G. Avildsen atrás das câmeras novamente e seu amigo Bill Conti acrescentou mais uma pontuação triunfante para fazer todos acreditarem que um azarão poderia chegar ao topo. Mas, como qualquer história que é reformulada para um público mais jovem, tem que ser moderna, e é essencialmente isso que essa trilha sonora é – pelo menos por enquanto. Mesmo assim, ninguém estava ouvindo “You’re the Best” de Joe Esposito sem cantar ironicamente (inferno, foi rejeitado pelo próprio Rocky Balboa), mas eles estavam tocando Gang of Four (“Desire”) ou Broken Edge ( “Nenhum abrigo”). E embora seja um crime “Cruel Summer” do Bananarama ter sido deixado de fora, você consegue sua dose de New Wave com Commuter (“Young Hearts”) e Baxter Robertson (“Feel the Night”), duas músicas que vão machucar sua alma. Encerar, encerar, gente. –Michael Roffman


97. Space Jam (1996)

space jam As 100 melhores trilhas sonoras de filmes de todos os tempos

Aqui está algo que não é muito discutido – a trilha sonora para Space Jam continha cinco sucessos no Top 40, quatro deles sendo os 10 melhores hits que fizeram de 1996 e 1997 uma época em que você não poderia escapar dessa trilha sonora se tentasse. Mas o verdadeiro charme dessa trilha sonora está fora dos hits, como ótimas músicas dance/hip-hop de Robin S e Salt-N-Pepa, embora tudo o que você realmente precisa saber sobre a qualidade dessa trilha sonora é que ela tem Busta Rhymes, Coolio, LL Cool J e Method Man colaboram em uma música sobre os vilões Monstars… e é absolutamente fenomenal. –Doug Nunnally


96. Angus (1995)

angus As 100 melhores trilhas sonoras de filmes de todos os tempos

Se estamos falando de trilhas sonoras emblemáticas da experiência do ensino médio de meados dos anos 90, poucas são tão testadas e verdadeiras quanto Angus. Na época, toda a cena grunge havia dado lugar a um som mais alternativo com Green Day e Weezer liderando o ataque. Você não sabe, ambos encabeçam esta coleção, com a música memorial do Green Day “JAR (Jason Andrew Relva)” dando início ao LP e “You Gave Your Love to Me Softly” do Weezer, bem no meio entre Ash, Smoking Papas e Os Muffs. Curiosidade: essa última música não foi planejada para a trilha sonora, já que o frontman Rivers Cuomo originalmente escreveu uma música para o filme intitulada “Wanda (You’re My Only Love)”, que foi rejeitada por ser “uma interpretação muito estrita do filme”. Tudo bem, como Angus, eles venceram no final, liberando Pinkerton O ano seguinte. –Michael Roffman


95. Elizabethtown (2005)

elizabethtown As 100 melhores trilhas sonoras de filmes de todos os tempos

O muito difamado tratado de 2005 de Cameron Crowe sobre bondade, perdão, amor e Manic Pixie Dream Girls pode ter se tornado uma piada em seu próprio tempo, mas uma de suas impressões mais duradouras é sua trilha sonora, criada especificamente para trazer o ex-sapato suicida de Orlando Bloom designer (sim) de volta da beira. Por meio de uma mistura do amor de Kirsten Dunst e uma lista de reprodução extensa, incluindo Tom Petty, Ryan Adams, My Morning Jacket, Lindsey Buckingham, Elton John, U2 e uma série de outros nomes familiares e menores, Crowe serve como o deus benevolente de seu filme. mundo amoroso. Bloom pode estar preso em um fiasco, mas a trilha sonora aponta para um céu mais claro. —Dominick Suzanne Mayer




By admin