Wed. Feb 28th, 2024


Não é uma verdade universal, mas algumas bandas certamente mudam seu som com o tempo. Às vezes, no caso de bandas como Opeth é uma mudança drástica (tudo o que é ótimo na opinião deste escritor), e às vezes em um caso como Embreagem é uma curva muito mais lenta. É claro que com essa mudança vêm algumas opiniões muito fortes de sua respectiva base de fãs, tanto elogiosas quanto críticas.

Propaganda. Role para continuar lendo.

Embora em uma entrevista com Ryan J. Downey do Knotfest, Embreagem vocalista Neil Fallon discute como talvez aquele clamor por qualquer banda para voltar ao seu “som antigo” realmente não seja sobre a música.

“Isso é uma coisa que eu nunca entendi muito bem. ‘Oh, eu gostaria que você pudesse voltar ao seu som antigo’ ou algo assim. É como, ‘bem, você quer a mesma coisa de novo e de novo e de novo e de novo?’ Tem bandas que acharam uma coisa muito específica e fizeram variações muito bem desse um ou dois temas. CA/CC ou o Ramones.

“Isso é muito bom, mas, se você quiser ouvir… e honestamente, acho que muito disso tem a ver com as pessoas querendo uma máquina do tempo. Não é tanto que eles querem a mesma música, [but instead] eles querem que o período de suas vidas que eles associam a essa música volte. Músicos não são magos. Eles não podem levá-lo de volta aos seus dias de glória ou a um bom momento em sua vida, porque, em última análise, acho que é isso que as pessoas estão realmente procurando.”

Eu também adoro o ponto que Downey faz antes Cair sobre responde a pergunta – ninguém está tirando o material antigo de uma banda. Então, se você decidiu que tudo Embreagem já fez de Blast Tyrant em diante totalmente uma porcaria, boas notícias! Todos esses registros antigos ainda estão disponíveis nos formatos digital e físico. Ninguém os tirou de você.

Propaganda. Role para continuar lendo.

Quer mais metal? Assine nosso boletim diário

Digite seu e-mail abaixo para receber uma atualização diária com todas as nossas manchetes.

By Dave Jenks

Dave Jenks is an American novelist and Veteran of the United States Marine Corps. Between those careers, he’s worked as a deckhand, commercial fisherman, divemaster, taxi driver, construction manager, and over the road truck driver, among many other things. He now lives on a sea island, in the South Carolina Lowcountry, with his wife and youngest daughter. They also have three grown children, five grand children, three dogs and a whole flock of parakeets. Stinnett grew up in Melbourne, Florida and has also lived in the Florida Keys, the Bahamas, and Cozumel, Mexico. His next dream is to one day visit and dive Cuba.