Tue. Mar 5th, 2024



Enrole, enrole! O circo chegou a Chiswick House and Gardens e, em uma bela noite, tendas de lona e vans de circo enfeitam os gramados, trazendo uma sensação de emoção e a sensação atemporal de um gênero tradicional de apresentação. O pacote em torno de Les Enfants du Paradis no Gifford’s Circus é total e ponderado, oferecendo de tudo, desde um copo de espumante na porta até pipoca e algodão doce do lado de fora da tenda. O figurino é impecável e deslumbrante, a cenografia mágica: tudo é esteticamente lindo e equilibrado como um acrobata. Mas de alguma forma eu saí…

Avaliação



Excelente

Uma coleção esteticamente impressionante de performances altamente polidas, mas que se divide entre dois mundos.

Enrole, enrole! O circo chegou Casa e jardins de Chiswick, e em uma bela noite, tendas de lona e vans de circo enfeitam os gramados, trazendo uma sensação de emoção e a sensação atemporal de um gênero tradicional de performance. O pacote ao redor Les Enfants du Paradis no Circo de Gifford é total e ponderado, oferecendo de tudo, desde um espumante copo de espumante na porta até pipoca e algodão doce do lado de fora da barraca. O figurino é impecável e deslumbrante, a cenografia mágica: tudo é esteticamente lindo e equilibrado como um acrobata. Mas de alguma forma deixei a performance apreciativa, mas não completamente convencida.

Vamos começar dizendo que simplesmente não há uma performance ruim neste show. Cada ato é excelente, desde os surpreendentes e belos trapezistas Soeurs des Étoiles (Marika Ashley Gould e Marina Luna) para a fenomenal banda ao vivo Quel Fromagepara o incrível ilusionista e artista de mão-sombra Sergi Buka. Estes – e de fato todos os artistas – estão no topo de seu jogo (alguns no topo da tenda!). Houve poucos atos que eu não vi de alguma forma em outro lugar, mas os bonecos fluidos e transformadores de Buka eram extraordinariamente belos e notáveis. Também fiquei genuinamente surpreso ao ver o trapezista Alexandre Saint-Michael andar de cabeça para baixo pendurado nos pés pelo espaço da tenda: isso era realmente de tirar o fôlego.

Para mim, surge um desafio onde dois mundos do antigo e do moderno colidem. O produto comercializado é marcado com a arte clássica francesa, a tradição e a magia de séculos de produção e performance teatral; está tudo lá no show e é maravilhoso. Músicas de Les Mis e peças de época gelam maravilhosamente com a vibração. No entanto, há um cruzamento, com várias canções pop modernas executadas para reforçar a atmosfera. Embora divertido, isso luta contra o ambiente estabelecido, minando a ilusão. Por exemplo, o maravilhoso Nell O’Hara enquanto Clair de Lune nos conduz pela noite em um vestido de noite do século 19 com lantejoulas, uma parte que acena para Fantasma da Ópera, mas então ela pega um microfone e começa a cantar números pop e disco, o que prejudica sua caracterização.

Também me senti um pouco desconfortável com os pôneis performáticos, por mais adoráveis ​​que sejam. Temos a certeza de que o bem-estar animal é de extrema importância, e não tenho argumentos contra qualquer afirmação sobre isso, mas parecia uma coisa antinatural pedir para que eles se ajoelhassem e se curvassem.

Este é um circo muito tradicional, com um toque dinâmico e moderno. O público adorou cada momento e estava dançando no ringue no final, então se você está procurando uma mistura de gêneros, pode ser para você. Para mim, eu preferiria que aderisse a um tema por toda parte, para nos imergir totalmente em sua ilusão espetacular.


Dirigido porCal McCrystal

Les Enfants du Paradis passeios até domingo, 1º de outubro. As datas e locais podem ser consultados aqui.



By Dave Jenks

Dave Jenks is an American novelist and Veteran of the United States Marine Corps. Between those careers, he’s worked as a deckhand, commercial fisherman, divemaster, taxi driver, construction manager, and over the road truck driver, among many other things. He now lives on a sea island, in the South Carolina Lowcountry, with his wife and youngest daughter. They also have three grown children, five grand children, three dogs and a whole flock of parakeets. Stinnett grew up in Melbourne, Florida and has also lived in the Florida Keys, the Bahamas, and Cozumel, Mexico. His next dream is to one day visit and dive Cuba.