Mon. Mar 4th, 2024



Pink Floyd O Lado Escuro da Lua ostenta um arco-íris em sua capa há 50 anos, desde que a capa, aham, retrata um prisma refratando a luz. Ainda assim, quando a banda postou uma versão adaptada dessa iconografia em seu Facebook para comemorar o aniversário do álbum, muitos fãs falsos interpretaram o arco-íris como um sinal de apoio do Pink Floyd aos direitos dos homossexuais e não ficaram felizes com isso.

“Perca o arco-íris, você está se fazendo de idiota”, comentou um usuário, enquanto outro exigia “representação igualitária” na página da banda com uma “bandeira direta”. “A partir de agora não ouço essa banda”, ameaçou um terceiro comentarista. Felizmente, no entanto, a notícia da multidão anti-acordar invadindo a seção de comentários do Pink Floyd levou os fãs mais razoáveis ​​da banda a revidar, apontando o fato de que a arte não é uma declaração política. (Claro, o Pink Floyd sempre foi uma banda decididamente política, acrescentando outra camada de ironia à homofobia.)

“Alguns de vocês levaram ‘Não precisamos de educação’ um pouco a sério demais”, comentou um fã, referindo-se à música do Pink Floyd “Another Brick in the Wall”. “Não gosto desse novo logotipo. Os 50 me fazem sentir velho”, brincou outro. Neste ponto, a postagem original no Facebook está mais inundada de piadas sobre Boomers gritando com as nuvens do que a própria histeria conservadora, mas Travis Ackers ofereceu um resumo de alguns dos comentários mais estúpidos da postagem, que você pode conferir abaixo.

Para qualquer pessoa mais interessada em ouvir a música do Pink Floyd do que reclamar da agenda liberal, a banda lançará um remasterizado de luxo O Lado Escuro da Lua caixa definida em 24 de março. O pacote inclui o icônico álbum remasterizado em CD e vinil, blu-ray e DVD de áudio do disco, CD e vinil de uma apresentação em Wembley em 1974, um livro de música de 76 páginas e muito mais. As pré-encomendas estão em andamento.



By Dave Jenks

Dave Jenks is an American novelist and Veteran of the United States Marine Corps. Between those careers, he’s worked as a deckhand, commercial fisherman, divemaster, taxi driver, construction manager, and over the road truck driver, among many other things. He now lives on a sea island, in the South Carolina Lowcountry, with his wife and youngest daughter. They also have three grown children, five grand children, three dogs and a whole flock of parakeets. Stinnett grew up in Melbourne, Florida and has also lived in the Florida Keys, the Bahamas, and Cozumel, Mexico. His next dream is to one day visit and dive Cuba.