Mon. Feb 26th, 2024
dance music


A música de dança em Portugal tem uma história rica e diversificada, que remonta aos anos 80, e que continua a evoluir até aos dias de hoje. Neste artigo, vamos explorar a evolução da música de dança em Portugal, desde as suas origens nos anos 80 até às tendências atuais.

Os anos 80 foram uma época de transformação para Portugal, com o país a entrar numa nova era depois do final da ditadura. Este período de mudança também trouxe consigo uma nova onda de música e cultura, com a música de dança a tornar-se cada vez mais popular em discotecas e festas por todo o país. Muitos artistas e bandas internacionais, como os Pet Shop Boys, New Order e Depeche Mode, influenciaram a cena musical portuguesa da época, inspirando novos artistas e produtores a explorar novos estilos de música.

Foi neste contexto que surgiram alguns dos primeiros artistas e bandas portuguesas a adotar o género da música de dança, como os Xutos & Pontapés, os Heróis do Mar e os GNR. Estas bandas incorporaram elementos de música eletrónica e sintetizadores nas suas canções, criando um som inovador que cativou o público.

Nos anos 90, a música de dança em Portugal continuou a evoluir, com o surgimento de novas tendências e estilos musicais. Foi nesta década que surgiram os primeiros clubes de música eletrónica em Lisboa e no Porto, que se tornaram locais de referência para os amantes da música de dança. Artistas e DJs como DJ Vibe, Rui Da Silva e Pedro Cazanova começaram a ganhar destaque, levando a música de dança portuguesa para o cenário internacional.

A viragem do milénio trouxe consigo uma explosão de popularidade para a música de dança em Portugal, com o surgimento de festivais de música eletrónica como o Boom Festival, o Neopop e o Rock in Rio Lisboa. Estes eventos trouxeram alguns dos maiores nomes da música de dança internacional a Portugal, incluindo DJs e produtores como Carl Cox, Paul Kalkbrenner e Richie Hawtin, elevando a música de dança portuguesa a um novo patamar.

Nos últimos anos, a música de dança em Portugal tem continuado a prosperar, com uma nova geração de artistas e produtores a emergir e a explorar novas sonoridades. O surgimento de novos estilos como o house, techno, drum and bass e dubstep tem contribuído para diversificar ainda mais a cena musical portuguesa, atraindo um público mais vasto e diversificado. Festivais como o NOS Alive, o Super Bock Super Rock e o MEO Sudoeste têm vindo a incluir cada vez mais artistas de música de dança nos seus cartazes, refletindo a crescente popularidade do género em Portugal.

Hoje em dia, a música de dança continua a ser uma parte fundamental da cultura musical portuguesa, com uma comunidade vibrante e dedicada de fãs e entusiastas. A cena de música de dança em Portugal mantém-se dinâmica e em constante evolução, com novos artistas e produtores a surgir regularmente e a contribuir para a diversidade e inovação do género. Com uma história rica e um futuro promissor, a música de dança em Portugal continua a ser uma força dinâmica e influente no panorama musical nacional e internacional.

By Dave Jenks

Dave Jenks is an American novelist and Veteran of the United States Marine Corps. Between those careers, he’s worked as a deckhand, commercial fisherman, divemaster, taxi driver, construction manager, and over the road truck driver, among many other things. He now lives on a sea island, in the South Carolina Lowcountry, with his wife and youngest daughter. They also have three grown children, five grand children, three dogs and a whole flock of parakeets. Stinnett grew up in Melbourne, Florida and has also lived in the Florida Keys, the Bahamas, and Cozumel, Mexico. His next dream is to one day visit and dive Cuba.