Brasil Educação Rio Grande do Sul Serra Gaúcha

Professores de Gramado recebem formação sobre a Base Nacional Comum Curricular Foi também reforçada a importância e necessidade da formação continuada dos professores, focando nos eixos científico, pedagógico e pessoal

Professores de Gramado recebem formação sobre a Base Nacional Comum Curricula. Foto: Milena Dallarosa

Na última segunda-feira, 10, a Secretaria da Educação de Gramado recebeu o professor de Geografia, pedagogo e doutor em Ciências da Educação, Júlio Furtado, para palestrar sobre a Base Nacional Comum Curricular (BNCC) voltada a profissionais de todas as escolas da rede municipal de ensino.

As atividades ocorreram em dois momentos. À tarde, reuniu diretores, vice-diretores, supervisores e orientadores das escolas na Universidade Aberta do Brasil UAB/Gramado para reforçar a importância e necessidade da formação continuada dos professores, focando nos eixos científico, pedagógico e pessoal, e salientar o papel da equipe gestora nesse processo. “A formação continuada é uma das principais responsabilidade das lideranças, no caso a equipe diretiva das escolas. Este ponto é uma preocupação constante da Secretaria da Educação, que via Polo da UAB vem oferecendo ao longo do ano letivo um Programa de Formação de Gestores Municipais”, explicou a coordenadora do Polo, Maria Gorete Rodrigues da Silva.

Marina Bazei, diretora da Escola Municipal de Educação Infantil Estação da Criança, no loteamento Altos da Viação Férrea, bairro Várzea Grande, elogiou a iniciativa. Conforme a gestora, a palestra com Furtado reportou exatamente o que a educação está passando, a necessidade de buscar novos saberes e a valorização das novas linguagens. “Temos urgência em buscar aperfeiçoamento que vá ao encontro a esta nova realidade. A tecnologia trouxe uma evolução de conhecimento rápida do nosso alunado, que hoje é mais imediatista. Quando ele quer tomar conhecimento de algum tema, procura respostas na internet, onde é mais dinâmico. E nós, profissionais, não nos damos por conta que precisamos ler e estudar mais outras plataformas. A atualização deve ser constante e de qualidade. Precisamos pensar grande, mudar a nossa história escolar com novas reflexões. Sair da zona de conforto e compreender essa nova realidade da educação brasileira”, ressalta.

Na palestra intitulada “A BNCC na prática: desafios e possibilidades”, na FAURGS, o professor Júlio Furtado reuniu toda equipe de profissionais da rede municipal e fez importantes esclarecimentos aos professores acerca do documento, que foi aprovado em dezembro de 2017. Ele é composto, em média, de 60% a 70% do currículo que todos os alunos do país terão acesso. Agora, cabe aos estados e municípios analisarem o texto e o complementarem de acordo com as necessidades locais e regionais para o melhor desenvolvimento do processo de ensino-aprendizagem. A aplicação da BNCC nas escolas ocorrerá em 2019 como forma de adaptação e em 2020 de forma efetiva, visando garantir igualdade e unidade de aprendizagem dos estudantes brasileiros.

“O professor Júlio nos trouxe de uma forma didática e direta que a BNCC é uma lei que já foi aprovada e deve ser cumprida. Para tanto, os municípios devem se organizar e estudar esta lei, pois vai ter uma influência direta tanto na rede municipal, estadual e particular.
Nós, enquanto secretaria, estamos criando estratégias nas escolas para melhor entender e pôr em prática a BNCC com sucesso”, ressaltou a secretária da Educação, Gilça Silva.

No encontro, Furtado salientou que a BNCC não é o currículo em si a ser seguido pelos professores, mas o documento orientador com vistas a embasar a construção do currículo escolar que engloba educação infantil e ensino fundamental.

De acordo com a professora Daniela Leite Gonçalves Conte, das EMEIs Tia Carmelina e Pequenos Passos (Várzea Grande), o palestrante mostrou que o educador pode ir além. “A educação não pode ser pronta, precisamos ver e conhecer nosso aluno e com técnicas e conhecimento colaboramos na formação de um bom cidadão. É preciso pensar momentos de troca, tem muita gente boa no nosso meio que pode acrescentar na nossa prática. Para mim, a base não é novidade, acredito nela, cansei de temas prontos e datas comemorativas, consigo pensar no aluno e suas curiosidades, não me limitando”, destacou.

Foto: Milena Dallarosa

Sobre o autor

Nicoli Saft

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: