Wed. Jan 19th, 2022


Que ano. Sinceramente, eu nem queria classificá-los, mas tradição é tradição. Comecei com uma longa lista de 35 discos que reduzi para 20, depois 15, antes de chegar a 10. Não me lembro de ter passado tantos anos fazendo isso tendo um tempo tão ridículo compilando uma lista de final de ano. Talvez o tempo de inatividade pandêmico e restrito a casa torne a magia do metal irreal. Quem sabe? Mas 2022 tem seu trabalho dificultado.

Propaganda. Role para continuar lendo.

Essas listas sempre causam divisão. Os favoritos de alguém estão fadados a ficar de fora. Alguém está fadado a ficar puto, provavelmente aqueles que ocupam os cantos escuros do Facebook. Mas, no final, que sorte nós, como fãs, temos de ter a produção de metal que 2021 nos deu. Todos os revestimentos de prata. Para o metal!

Menções honrosas:

10. Carcaça – Artérias Rasgadas

Tampa das artérias rasgadas da carcaça

Jeff Walker parecia fazer tudo ao seu alcance para dissuadir os fãs de investirem neste álbum, mas Artérias Rasgadas porra de rasgos.

Um grupo que nunca teve um histórico ruim aos meus olhos, Carcaça teve a grande tarefa de acompanhar Aço cirúrgico, o primeiro novo registro da banda desde 1996. E embora os méritos desse argumento sejam quase zero, Artérias Rasgadas traz o pesado, com um quinhão de groove, para uma entrada mais do que aceitável no final da carreira para os mestres britânicos do metal extremo. “Dance of Ixtab” e “The Scythe’s Remorseless Swing” serão uma loucura ao vivo.

9. Iron Maiden – Senjutsu

Dama de Ferro para mim é como pizza. Mesmo menos do que pizza perfeita ainda é pizza. E você sempre quer pizza. Donzela ocupa um lugar muito especial no meu coração de metal corroído. Eles são uma das bandas que me levaram a um lado inteiramente novo do gênero, na época em que eu era desesperado e louco por nu-metal.

Senjutsu poderia ser realisticamente Donzelamelhor registro desde Admirável Mundo Novo. “Stratego” (uma das raras faixas mais curtas) dá seriedade Powreslave vibrações e até mesmo o single inicial “The Writing on the Wall” remete a uma época passada Donzela.

Propaganda. Role para continuar lendo.

Mas não se engane, Senjutsu é um exercício em excesso. Seguindo o caminho estabelecido em O livro das almas, Donzela é grande em quase todas as facetas. Composição, solos, atmosfera. É grande – talvez indulgente demais às vezes – mas ainda assim perto de uma masterclass de metal de um dos legítimos GOAT.

8. Red Fang – Setas; flechas

Os melhores stonery sludgemuffins de Portland nos fizeram esperar por um novo recorde, mas porra, a espera valeu a pena. Setas; flechas é um retrocesso à era do “cão pré-histórico” Red Fang, repleto de riffs robustos e feedback sujo e distorção que nos faz sentir falta daquelas bandas da era garagem do passado.

O single autointitulado é o tipo de verme da orelha hino que será feito sob medida para as turnês futuras. E se nada mais, podemos brindar a volta do maluco doido Red Fang vídeos de música. “Por que”, em particular, é um sonho febril demente. Beijo do chef.

7. Condição desumana – Rato ° Deus

Condição desumana é minha surpresa mais agradável de 2021. Todos os anos há uma nova entrada no gênero heavy metal que marca todas as minhas caixas e os veteranos do gênero Terry Butler (Obituário, Morte, Six Feet Under), Jeramie Kling (Venom Inc, A falta, De Deus) e Taylor Nordberg (A falta, Goregäng) fez tudo isso e depois um pouco Rato ° Deus.

Esses caras são puro death metal. Sem frescura, sem besteira. Se você quer um death metal clássico, old school, da Flórida, que te dá nostálgico Morte e Obituário bem no fundo em suas sensações intestinais, conecte isso em suas veias. Toque de frente para trás e não se preocupe com a seleção de faixas. Esta besta inteira dá uma surra de merda.

6. Rios de Nihil – O trabalho

As expectativas para Rios De Nihilacompanhamento de Onde as corujas sabem meu nome era enorme. Pessoalmente, o recorde estava no topo da minha lista de final de ano de 2018, então qualquer coisa menos que a perfeição seria um tanto decepcionante para o álbum número quatro.

The Work é um sucessor muito bom para Corujas, embora minhas queixas sejam escolhas mais criativas e nada a ver com produção ou performance. Rivers troca a grandiosa ópera death metal infundida de jazz por um som mais industrial e opressor e alcance para O trabalho.

Propaganda. Role para continuar lendo.

É vasto, desolado e tão assustador quanto seu antecessor. As melhores notas vão para a criatividade. Você nunca vai ouvir o mesmo Rios De Nihil gravar duas vezes.

5. Nos Portões – O pesadelo de ser

Muito parecido com Carcaça, Eu nunca não gostei, ou cheguei perto de não gostar de um Nos portões álbum. Alguns detratores filosofam sobre como o grupo não tem sido o mesmo desde o Massacre da Alma era, mas essas pessoas são tristes de qualquer maneira.

O pesadelo de ser é tudo que eu quero Nos portões e death metal melódico em geral. Riffs robustos e explosivos, Tomas acertando cada grito furioso como se estivesse sendo pago em uma escala de agressão, a mistura de atmosfera e as luzes e sombras. São aqueles momentos entre a beleza e o caos – que refletem a vida ironicamente bem – que fazem deste álbum um destaque. “Specter Of Extinction”, em particular, é um lançamento de álbum ridiculamente bom. A +.

4. Gojira – Fortitude

Eu disse em meu artigo do meio do ano que tinha notado detratores começando a sair em ondas de baixa Gojira como esgotados. O sucesso tende a azedar os fãs de metal. Nada de novo aí, mas é quase impossível descartar o que essa banda fez nos últimos 20 anos.

Esses mesmos detratores provavelmente não serão convertidos com Fortitude. O que você tem, porém, para fãs obstinados e novos recrutas em potencial, é um álbum que mistura o passado e o presente do que poderia ser o aparente ato de turnê do ‘rock’ de arena globalmente.

“Amazonia” é facilmente uma de suas faixas mais ecléticas e impactantes em anos, “Into The Storm” e “Born For One Thing” têm grande capacidade de crossover, enquanto “Grind” e “The Sphinx” devem mais do que satisfazer os fãs de Gojirasom anterior de.

3. Cadáver canibal – Violência não imaginada

Os santos pais do metal extremo continuam a fazer a maldita coisa sem iguais ou iguais, espancando-nos até a morte nesta era pandêmica do metal com Violência Inimaginada. eu sou um Corspsegrinder obstinado, e amo todos cadáver canibal registro que ele teve no comando, mas Violência Inimaginada poderia ser meu favorito em mais de uma década.

Propaganda. Role para continuar lendo.

“Murderous Rampage”, “Inhuman Harvest”, há muitos cortes de destaque para citar. Os caras não estão reinventando a roda. Você sabe o que está recebendo do cadáver canibal tripulação no ano do senhor Ronnie James Dio 2021. É pulverizador pesado, o estimulante perfeito para nossa nuvem de veneno sociopolítico. Que eles reinem por muito tempo.

2. Mastodonte – Silencioso e sombrio

Eu sou um enorme, sem remorso Mastodonte ventilador. Quebrar o Skye está na minha lista de melhores discos de todos os tempos, e Silencioso e sombrio – o álbum duplo sombrio, mas bombasticamente progressivo e psicodélico do grupo – é talvez o melhor álbum que o grupo lançou desde então.

Mastodonte sempre usou seus corações em sua manga, nunca se esquivando de recorrer à dor real por sua arte. Você sente a angústia em todo o épico de 15 faixas, com a perda de um gerente de longa data Nick John servindo como um catalisador para o tom geral.

“Pushing The Tides”, “Gobblers Of Dregs”, “Gigantium” e “Teardrinker” são todos destaques.

1. Khemmis – Enganador

Nenhuma banda de metal hipnotizou todos os meus pensamentos dessa maneira Khemmis tem nos últimos 10 anos. Absolvição, Caçado, e Desolação são todos de primeira linha, prontos para lançamentos de status vintage. Enganador já está a caminho de nível divino.

Combinando o doomy e o ritmo acelerado, a banda começou a trabalhar nos primeiros discos com um trabalho de guitarra habilidoso e ganchos que fariam Donzela e Padre ponta do golpe, Khemmis são o verdadeiro negócio. Não há debate agora. Esses caras mandam.

Propaganda. Role para continuar lendo.

Nada que eu possa escrever fará justiça. Absorva-o da frente para trás, como nossos ancestrais faziam. Mergulhe. Injete-o nas veias. Porra Khemmis!

By admin