Eleições 2018 Notícias Policial Política Rio Grande do Sul Segurança

Operação de segurança contabiliza 237 prisões no 1º turno das eleições Operação envolveu agentes de instituições federais para garantir normalidade do processo aos cidadãos.

A Operação Eleições 2018, ação que envolveu mais de 10.652 agentes de instituições federais, estaduais e municipais ligadas à Segurança Pública e fiscalização de trânsito, chegou ao final de suas atividades no primeiro turno contabilizando 237 prisões.

O balanço registra 18 ocorrências de propaganda eleitoral irregular e 19 ocorrências de boca de urna. A operação apreendeu 3.262 materiais gráficos, sendo 3.044 santinhos, 193 folders e 25 faixas e cartazes. Um veículo foi apreendido, decorrente de crime eleitoral.

Crimes Comuns nos locais de votação/apuração:

Lesão Corporal – 1

Crimes Eleitorais:

Boca de urna – 173

Compra de votos/Corrupção eleitoral – 1

Desobediência a ordens da Justiça Eleitoral – 1

Desordem que prejudique os trabalhos eleitorais – 1

Distribuição de material irregular de campanha – 2

Propaganda eleitoral irregular – 34

Transporte irregular de eleitores – 2

Apreensão de Moedas e Objetos:

Dinheiro (Real) – 2

Objetos gráficos (faixas, cartazes, folders e santinhos) – 190.000

Veículos decorrente de crime eleitoral – 1

Prisão/Condução:

Prisão de Cabo Eleitoral – 2

Prisão de Candidatos – 1

Prisão de Eleitores – 12

Auto de Prisão em Flagrante – 5

Termo Circunstanciado de Ocorrência – 217

Trabalho integrado

A operação contou com a participação de servidores do Tribunal Regional Eleitoral (TRE-RS), Departamento de Inteligência de Segurança Pública (DISP/SSP), Brigada Militar (BM), Polícia Civil (PC), Corpo de Bombeiros Militar (CBMRS), Polícia Federal (PF), Superintendência dos Serviços Penitenciários (Susepe), Agência Brasileira de Inteligência (Abin) e Samu.

O centro operacional foi estabelecido no Departamento de Comando e Controle Integrado da Secretaria da Segurança Pública (DCCI/SSP). Em virtude da grande demanda na capital, a Prefeitura de Porto Alegre integra o grupo por meio da Empresa Pública de Transporte e Circulação (EPTC).

Profissionais de todos os órgãos receberam capacitação para operar o sistema que alimentou o banco de dados da Secretaria Nacional de Segurança Pública (Senasp). Esta, por sua vez, serviu como fonte de informações do Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

Mais de 350 presos votam

A Susepe informou que 383 apenados votaram no Rio Grande do Sul. Possuem direito ao voto os presos provisórios sem condenação criminal transitada em julgado. A previsão era de que 627 detentos estivessem aptos a votar, mas o número se reduziu em função da rotatividade nos presídios, como saída em liberdade ou condenação.

As votações ocorreram em dez estabelecimentos prisionais. Na capital, os locais que tiveram instalação de urnas foram a Cadeia Pública de Porto Alegre e o Presídio Estadual Feminino Madre Pelletier.

Também houve votos votaram na Penitenciária de Canoas (Pecan) II, Presídio Estadual de Lajeado, Penitenciária Modulada de Montenegro, Penitenciária Estadual de Rio Grande, Presídio Estadual de São Borja, Presídio Estadual de Soledade, Penitenciária Modulada Estadual de Osório e Presídio Estadual de Três Passos.


Sobre o autor

Wesley Wierganowiez

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: