Mon. Nov 29th, 2021


Você já conversou com alguém e sentiu que algo estava errado? Pode ter sido porque a pessoa com quem você estava falando estava usando uma linguagem corporal que não correspondia ao que ela estava dizendo. Às vezes, as dicas verbais de alguém (o que está dizendo) não correspondem às dicas não-verbais (o que seu corpo está fazendo – postura, gestos, expressões faciais – também conhecido como linguagem corporal).

O seguinte jogo de improvisação dá aos alunos a oportunidade de apresentar e observar várias pistas verbais e não verbais, e comparar e contrastar como eles se sentem quando as pistas não correspondem.

1. Peça aos alunos que formem um círculo.

2. Dê à classe uma frase genérica, como “Estou tão bravo com você”, “É bom ver você”, “Você pode me ajudar?” ou “Sim, entendo”.

3. Um por um, peça aos alunos que contornem o círculo e digam a frase, usando uma linguagem corporal apropriada que eles achem que corresponda ao que estão dizendo. Por exemplo, se a linha for “Estou tão bravo com você”, os alunos podem cerrar os punhos, bater os pés ou cruzar os braços para mostrar que estão com raiva. (A palavra-chave é “pode” – diferentes alunos podem ter diferentes maneiras de demonstrar o que eles acham que são dicas não-verbais “apropriadas”. Você pode discutir isso com sua classe.)

4. Em seguida, dê a volta no círculo uma segunda vez e peça aos alunos que repitam a mesma frase, mas com uma dica não verbal diferente (gesto, expressão facial ou postura) que não corresponda ao que estão dizendo. Por exemplo, eles podem pular enquanto riem, se esconder atrás de um amigo, desviar o olhar, cruzar os olhos – qualquer tipo de gesto que não “combina” com o que estão dizendo.

5. Faça com que dois alunos em pé frente a frente no círculo se encontrem no meio. Dê a um aluno uma linha de abertura (inclua um link para o artigo Toneladas de Linhas de Abertura) e peça ao outro aluno que improvise uma resposta de uma linha. Ambos os alunos devem tentar apresentar uma linguagem corporal que não corresponda ao que estão dizendo.

6. Discuta:

  • Foi fácil ou difícil apresentar pistas não-verbais que não correspondessem às palavras que você estava dizendo? Porque?
  • Como você se sentiu quando estava vendo alguém dizer uma fala enquanto suas pistas não-verbais não correspondiam? (Confuso? Desconfiado? Irritado? Algo mais?)
  • Se você estivesse interpretando um personagem cuja linguagem corporal não correspondesse às suas palavras, o que pensaria desse personagem? O que os outros personagens na cena podem pensar deles? O que o público pode pensar?
  • Você acha que alguém pode escolher usar propositalmente pistas não-verbais que não correspondam ao que estão dizendo? Por que eles podem fazer isso?
  • Você já experimentou um momento na “vida real” em que a linguagem corporal de alguém não correspondia ao que estava dizendo? O que aconteceu? Como você se sentiu?
  • Você já pensou sobre as pistas não-verbais que está demonstrando aos outros – consciente ou inconscientemente? O que sua linguagem corporal pode estar dizendo sobre você?

Clique aqui para obter uma avaliação de participação gratuita.


Kerry Hishon é um diretor, ator, escritor e lutador de palco de London, Ontário, Canadá. Ela bloga em www.kerryhishon.com.

Quer saber mais sobre nossas mais novas peças, recursos e brindes?
Entre na nossa lista!

By admin