Tue. May 24th, 2022


“In From the Cold” abre com violência sem sentido, o que é perfeito para uma série que está mais preocupada com choques leves. Um cara com um olhar estranho de repente joga outro cara de um telhado em uma festa chique; em outro lugar em Madri, outro sujeito age racista em relação a um passageiro negro antes de ser imediatamente expulso do ônibus e perseguido. Então, um bebê é roubado antes que o ladrão também seja frustrado. O que poderia ter causado tais atos de terror improvisados?

Corta para Jenny (Margarita Levieva), que está em Madri com sua filha Becca (Lydia Fleming) e sua equipe de patinação artística de futuros atletas olímpicos. Sua filha acha que sua mãe é totalmente chata e estranhamente cautelosa sobre seu passado, colocando em movimento um arco de relacionamento entre mãe e filha. E então, de repente, quando Jenny está pegando o elevador no hotel, um cara com cara de estagiária de terno joga uma bomba de fumaça antes que as portas se fechem, nocauteando-a. Ela acorda presa diante de um grupo de capangas. Jenny é interrogada sobre ser uma espiã russa e nega tudo, até que de repente ela usa suas habilidades de luta profundamente enraizadas para arrasar por sua vida, e então descobre que está em uma espécie de centro de treinamento. Ela foi enganada por seu novo chefe, um homem elegante da CIA com um jeito chato de tentar parecer sério e um nome que realmente não favorece seu personagem – Chauncey Lew (Cillian O’Sullivan). Chauncey com seu gênio do computador Chris (Charles Brice) são capazes de coagir e apoiar a espiã anterior Jenny, enquanto ela traça uma trama contra o primeiro-ministro espanhol para espanhóis violentamente de direita e seu próprio passado oculto.

Eu mencionei que Jenny tem um superpoder que a Netflix não quer que os críticos mencionem até a estreia da série? Ou que o título da série soletra o “O” de “Cold” com um martelo e uma foice, que depois leva um tiro e sangra? Grande parte da narrativa de “In From the Cold” é do tipo “certo, por que não?” variedade, mais do que uma história de espionagem normal. Mas contanto que nos divirtamos, contanto que ainda sintamos que estamos em uma fuga opulenta como Jenny e Becca, isso prova ser o suficiente. “In From the Cold” joga tanto em nós em um ritmo tão rápido que pode ser difícil resistir quando você está curioso.

Das muitas peças suculentas que estão em movimento em “In from the Cold”, são os flashbacks da Jenny mais jovem (conhecida então como Anya) que simplesmente não são tão intrigantes. Vemos como ela conseguiu sua reputação como uma assassina chamada The Whisperer, e o relacionamento proibido que ela teve com outra jovem chamada Faina (Anastasia Martin) – uma faceta que a história trata com cuidado e tempo. Mas o diálogo é claro e bobo aqui também, como quando a chefe de Anya, Svetlana (Alyona Khmelnitskaya) diz “Você é uma PUTA PARA MÃE RÚSSIA!”, porque se os outros personagens vão ser tão amplos, por que não ir para o russo gelado? Mas “In From the Cold” corta para trás e para frente, por longos períodos de tempo, e é mais uma distração para a ação de Jenny mais ritmada acontecendo na linha do tempo atual.

By admin