Fri. Dec 9th, 2022


Uma aula de teoria do autor diria que todos os seus filmes desconstroem as formas tradicionais de masculinidade. Por que isso te interessa?

JC: Eu amo que você expressou isso em “Se eu fosse um teórico do cinema, é o que eles diriam.” [Laughs]. Eu amo loucuras públicas. Eu amo assistir as pessoas no limite. Eu adoro “Dog Day Afternoon”. Adoro ver as pessoas dizerem: “É besteira e não vou aguentar mais”. Fala com os tempos. Fala ao espírito humano e às pessoas que estão morrendo de vontade de dizer isso a seu chefe. “Thunder Road” é a mais catártica porque você pode assistir o cara tirar o uniforme completo, ficar nu no estacionamento e largar o emprego. E eu sou um ator, então tenho que interpretar caras, então sempre se trata de masculinidade tóxica porque eu simplesmente gosto de gritar em estacionamentos.

PM: Trilogia de gritos nos estacionamentos.

Esse é o nome do eventual livro sobre seu trabalho.

JC: Gritando em estacionamentos! Estou anotando isso, Brian. Estou roubando isso.

Vamos voltar para minha aula de teoria do cinema. Três gêneros muito diferentes – uma comédia dramática, um filme de terror e um suspense. Quão intencional é isso?

JC: É o tipo de coisa que está nos fazendo rir no momento. O próximo que faremos é um romance de camaradagem comédia de terror vitoriana.

Outro de Essa.

JC: Não temos o suficiente. Depende muito. Foi meio circunstancial. O filme de lobisomem é algo que eu escrevi antes de “Thunder Road” e por causa do sucesso de “Thunder Road”, o estúdio estendeu a mão para dizer o que mais você tinha. “The Wolf of Snow Hollow” é uma espécie de “Zodiac” como uma comédia – um mistério de assassinato de detetive. E então este é como um thriller erótico de uma forma estranha. É o que PJ e eu achamos interessante que sabemos que funcionará para o público.

Vamos voltar a algo. Você fala muito sobre seu apoio à comunidade de filmes independentes no Twitter. É uma grande parte do que você faz. Essa é uma questão em aberto, mas como será a próxima década do cinema independente?

JC: Vai ser ótimo pra caralho, cara.

É isso que eu quero ouvir. Porque?

JC: Por causa da dinâmica do poder. Porque essas corporações gigantes estão produzindo conteúdo coxo, domesticado e higienizado por causa das mudanças políticas de geração. E é esse nascimento de como o movimento punk ou rock and roll onde tudo é pop e então essa era a alternativa. O público deseja assistir a algo que não seja higienizado. Eles querem ver algo que tenha maldição real, sexo real, violência real. “O público é pervertido”, para citar David Fincher. Se as pessoas podem criar filmes em suas garagens – terminamos o filme neste espaço no computador no qual estou falando com você -, qualquer um pode fazer isso agora. Se você consegue entreter um público melhor do que as empresas, você ganha essa multidão. Acho que tudo que vai precisar é empurrar esses cineastas independentes um pouco e encorajá-los – “Você pode fazer um filme em seu quintal por meio de uma campanha Kickstarter e ganhar uma audiência e atuar no palco mundial.” As pessoas vão começar a fazer isso.

By admin