Brasil Cultura Economia Política Rio Grande do Sul Serra Gaúcha Turismo

Gramado apresenta Selo de Procedência do Chocolate Artesanal Cidade aguarda aprovação do registro pelo INPI

Gramado apresenta Selo de Procedência do Chocolate Artesanal

Os tradicionais chocolates de Gramado são um dos produtos preferidos dos milhões de turistas que visitam a cidade e tornaram o município referência nacional no segmento. A história entre Gramado e o chocolate iniciou na década de 70, quando o empresário Jayme Prawer fundou a primeira empresa artesanal, tornando o chocolate um item de desejo responsável por trazer pessoas de diversos lugares do país à cidade.

Associado à qualidade e tradição, esse produto está perto de receber um selo de indicação de procedência que preserve o chocolate artesanal como uma marca coletiva no município, evitando a pirataria e garantindo padrões mínimos de qualidade.

Nesta quarta-feira, 12, uma coletiva de imprensa de pré-lançamento do Selo de Procedência do Chocolate Artesanal de Gramado, na Cozinha Experimental do 10º Festival de Cultura e Gastronomia, apresentou os principais objetivos e os benefícios que o projeto traz à cidade.

A Prefeitura de Gramado, a Secretaria de Turismo e a Associação das Indústrias de Chocolate de Gramado (Achoco) estão à frente da implantação do Selo, que conta com a assistência técnica da empresa Master Assessoria Empresarial.

“O Selo do Chocolate representa a consciência de se fabricar um produto dentro dos parâmetros de qualidade, satisfazendo o gosto de todos oschocólatras. Este Selo irá representar o talento de todas as marcas de chocolates produzidos em Gramado. A Secretaria de Turismo é incentivadora destas ações que engrandecem nosso município e o produto turístico”, ressalta o secretário da pasta, José Carlos Ramos de Almeida.

Segundo o presidente da Achoco, Altanisio Ferreira de Lima, Gramado desenvolve um produto que é referência e está presente em todo o país. A implantação do Selo é uma ação em prol do chocolate de Gramado. “É uma satisfação chegar nesse momento após dois anos de trabalho, quando encaminhamos o Selo ao INPI. Temos o melhor chocolate do país e agradecemos àqueles que no dia a dia se empenham pelo que fazem, por elevar essa marca. Agradecemos também aos governantes municipais, que realizaram os investimentos necessários e reconheceram a importância dessa ação”, relatou Altanisio. Confira entrevista em vídeo:

O prefeito em Exercício, Evandro Moschem, lembrou da implantação das primeiras fábricas de chocolate na cidade e dos pioneiros dessa iniciativa, como o empresário Jayme Prawer. “O nosso chocolate precisava desse Selo, valorizando toda essa história. Também temos a humildade de reconhecer que precisamos avançar, que ainda temos o que trilhar. Contem conosco para levar Gramado a todos os lugares do mundo”, disse. Confira entrevista em vídeo:

A apresentação da regulamentação técnica foi feita pelo sócio-diretor da Master Assessoria Empresarial, Marcelo Adriano, que explicou os processos para a validação do Selo.

Confira ainda uma entrevista com a turismóloga Bábara Conrad sobre a importância do Selo para Gramado:

Selo do Chocolate de Gramado aguarda aprovação do INPI

O projeto para a implantação do Selo do Chocolate de Gramado vem sendo executado há dois anos, com investimentos da Secretaria de Turismo e do Conselho de Turismo.
Com a contratação, via processo licitatório, de uma assessoria técnica (Master Assessoria Empresarial), deu- se início à primeira fase do processo.Foram definidos os ingredientes e percentuais de quatro categorias de chocolate: ao leite, branco, meio amargo e amargo. Na sequência, trabalhou-se sobre o processo de fabricação, com definições de parâmetros mínimos a serem observados para garantir homogeneidade nos produtos. Em paralelo, foi solicitada à Prefeitura e à Secretaria Estadual de Turismo a definição do laudo de delimitação da Indicação de Procedência (IP),fundamental para comprovação da região produtora com o INPI. Igualmente, foi feito o ajustamento do estatuto da Achoco para adequar-se ao papel de órgão gestor da Indicação Geográfica (IG).

O passo seguinte passou a ser a construção do regulamento técnico de fabricação do chocolate, base para a sistemática de avaliação de produto e outorga do Selo às empresas integrantes do projeto. Também foi feito o levantamento de documentação para resgate histórico e cultural da produção de chocolate em Gramado, fundamental para comprovação da tradição local e o vínculo com o território, o que confere a necessária notoriedade ao produto.

Uma vez prontos e validados pelas empresas tanto o regulamento quanto o resgate histórico e cultural, foi definido, em maio de 2018, o layout do Selo que caracterizará as embalagens dos chocolates que ostentarão a indicação de procedência de Gramado.

Em 2018, finalizou-se uma importante etapa que coloca o Selo mais perto da sua implantação: o registro do Selo de Procedência do ChocolateArtesanal de Gramado no Instituto Nacional de Propriedade Industrial (INPI). O dossiê para solicitação do registro foi entregue ao Instituto em julho deste ano e pode levar de oito meses até dois anos para a legitimação. Só então o selo poderá ser estampando nas embalagens dos chocolateslocais.

Requisitos visam manter padrão de qualidade do chocolate

O regulamento do Selo de Procedência do Chocolate Artesanal determina, por exemplo, o mínimo de 35% de cacau na produção do chocolate ao leite. O mínimo exigido por lei nacional é de 25%. As fábricas também devem usar manteiga de cacau no lugar de gordura vegetal, por não apresentar gordura trans. As regras determinam ainda a produção dentro dos limites do município e o controle e rastreamento dos insumos.

A avaliação desses processos é uma das atribuições da Achoco e será realizada nos fabricantes que se associarem para receber o Selo. Após a aprovação do Selo no INPI, a expressão “Chocolate de Gramado” só poderá ser utilizada pelas empresas que aderirem ao processo. Cinco fabricantes de chocolates integram o processo do Selo: Lugano, Caracol, Planalto, Gramadense e Florybal.

Saiba mais sobre o Selo de Procedência do Chocolate de Gramado

Este é o Selo de Procedência que deve ser adotado

– Indicação de Procedência é o nome geográfico da localidade que se tenha tornado conhecida por certo produto ou serviço;

– Entre os benefícios do Selo de Procedência estão a proteção do patrimônio (produto) e da sua imagem; a proteção dos produtores e dos consumidores; a autenticidade do produto, a estimulação de investimentos no setor;

– Pelo regulamento, a produção do chocolate deve ter como ingredientes massa/licor de cacau, manteiga de cacau, leite em pó/desnatado e o percentual mínimo de 35% de cacau, no caso do chocolate ao leite. O percentual é ainda maior no caso do meio amargo e amargo;

– Pelo regulamento, estão proibidos na produção do chocolate o uso de cacau em pó, soro de leite e gordura vegetal hidrogenada;

– Para obter o selo, além de atender os requisitos do regulamento, é necessário se afiliar à Associação dos Chocolateiros de Gramado (Achoco), por ser esta a entidade que será mantenedora do projeto e reguladora do processo.

Colaboração: Luis Henrique Caldeira e Manuela Teixeira
Foto: Marlova Martins

 


Sobre o autor

Nicoli Saft

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: