Região dos Vales Rio Grande do Sul

Finados: O dia em que aqueles que já se foram recebem orações Em alguns lugares do mundo a data é celebrada com festas e banquetes que enaltecem a vida.

Feriado Finados

Saudade e respeito aos familiares e amigos que já se foram deste plano. Esses são sentimentos que acompanham milhares de pessoas durante essa vida, principalmente com a chegada do dia de Finados, data celebrada anualmente no cenário nacional no dia 2 de novembro.

Em Candelária e em toda a região, as movimentações de pessoas nos cemitérios, levando flores, ascendendo velas, orando e limpando os túmulos já vem acontecendo durante toda a semana e se intensificando cada vez mais, conforme o dia 2 deste mês se aproxima.

Durante esta manhã, diversas pessoas visitaram o cemitério municipal de Candelária. Famílias, crianças, jovens e idosos, todos se unem nesta data para recordar seus entes queridos que já faleceram. Mas será que todos conhecem a origem do Dia dos Mortos?

História

No início da história da Igreja, os cristãos rejeitavam totalmente a ideia de relacionamento com mortos. Nessa época, o pensamento predominante era o de que as almas simplesmente ficariam adormecidas até o momento do julgamento final. No entanto, ao mesmo tempo em que o cristianismo era difundido pela Europa, acabou-se anexando elementos de outras culturas em suas crenças. Acredita-se que a tradição do Dia de Finados tenha surgido a partir dos celtas, povos que acreditavam na vida após a morte e separavam uma data anual para homenagear e evocar os mortos.

Da mesma forma que faziam certas sociedades da antiguidade, os cristãos passaram a rezar pelas almas dos falecidos, acreditando que estes necessitariam de orações. A partir do século V, a Igreja destinou uma data específica para isso, embora esta não tenha sido uma prática muito corriqueira.

O grande responsável pela popularização do costume de orar pelos entes que já se foram foi o monge Beneditino Odilo de Cluny, o qual determinou no ano de 998 que todos os membros de sua abadia fizessem preces por essas pessoas, conhecidos e desconhecidos, religiosos ou leigos, de todos os lugares e de todos os tempos. Nascida na França, a tradição acabou se propagando por toda a Europa, até que o Dia de Finados foi oficializado durante o século XI, por meio dos papas Silvestre II, João XVIII e Leão IX. Já a data (dia 2 de novembro) foi estabelecida mais tarde, no século XIII, em virtude do dia de todos os santos, dia 1º do mesmo mês, pois os religiosos acreditavam que todas as pessoas, ao morrerem, entram em estado de graça.

No mundo:

A cultura de dedicar um dia para homenagear os mortos varia muito de localização ou religião. No Brasil, o Dia de Finados é uma data triste, afinal as pessoas lembram de seus entes e sentem saudades. Já em outros lugares são feitas confraternizações para celebrar a memória e a vida.

No México, por exemplo, a data é celebrada com festa e muitos banquetes, durante três dias, pois acreditam que nesses dias as almas das pessoas voltam para fazer uma visita a seus familiares e amigos. Isso faz com que o país receba visitações de turistas de todo o mundo.

Na Guatemala, a população faz grande “papagaios” (pipas) para decorar o céu, sendo que cada um dos objetos representa a alma de alguma pessoa que se foi. Já no Haiti, a celebração inclui batucadas com grandes tambores, que são tocadas durante a noite perto de cemitérios para acordar o “Deus dos Mortos”.

Finados

Em Candelária, muitas pessoas já iniciaram o trabalho de limpeza dos túmulos
Créditos: Marcelo Müller


Sobre o autor

Marcelo Müller

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: