Região dos Vales Rio Grande do Sul Saúde

Dois médicos cubanos deixam de atender nas ESF’s de Candelária A expectativa, segundo a Organização Pan-Americana de Saúde (OPAS), que está auxiliando os profissionais no traslado, é de que até 12 de dezembro 8.300 médicos deixem o Brasil.

Diversos estados do Brasil estão com o número de profissionais da área da saúde reduzidos nesses últimos dias. A situação vem ocorrendo após um anúncio do Governo de Cuba que deixaria o Programa Social “Mais Médicos” depois de um pronunciamento feito pelo presidente eleito Jair Bolsonaro. O país caribenho envia profissionais para atuar no Sistema Único de Saúde desde 2013, quando o programa foi criado.

Em Candelária, a ação também está tendo reflexo. Na última terça-feira, dia 20, por volta das 16h, a Secretaria de Saúde do Município recebeu uma nota técnica- informativa emitida pelo Conselho das Secretarias Municipais de Saúde do Rio grande do Sul (Cosems-RS), lamentando a interrupção da cooperação entre o Governo de Cuba e a  Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS), além de informar que a partir da data, dois Médicos cubanos que atuavam no município não poderiam mais desempenhar suas atividades.

Com isso, os profissionais Yenisel Arrudia Aguierre, que atuava na Estratégia Saúde da Família (ESF) do Bairro Rincão Comprido e o Dr. Lenin Gonzalez Batista, que atendia na Estratégia Saúde da Família do Bairro Marilene, deixam de exercer, até o momento, seus trabalhos em Candelária.

Conforme a Secretária de Saúde do município, Sandra Gewehr, outros médicos de Candelária atuarão nas ESF’s que deixam de contar com os serviços prestados pelos cubanos (confira mais abaixo).

Segundo Sandra, os médicos ainda estão no município e não há previsão de data para que deixem o país, e todo o auxílio está sendo prestado pela secretaria municipal de saúde aos profissionais. A secretária deixa uma mensagem de gratidão ao Dr. Lenin e à Yenisel. “Somos todos muito gratos pelo belo trabalho realizado pelos médicos nas comunidades do município. Em todos os anos nunca houve reclamações sobre os atendimentos e serviços prestados pelos profissionais. Nossas portas sempre estarão abertas”, disse ela.

Saiba mais sobre o assunto e sobre o atendimento nas ESF’s de Candelária

Segundo nota emitida pelo Cosems-RS, 630 médicos cubanos deixaram de atuar no Rio Grande do Sul desde a terça-feira, 20, deixando mais de 2 milhões de gaúchos desassistidos. Ainda conforme a nota, a situação acontece em todo o Brasil, mas se torna mais grave no Estado em razão da crise financeira pela qual passa o RS, fazendo com que Unidades básicas de Saúde fechem as portas ou reduzam o número de atendimentos.

Edital

Na terça-feira, o Ministério da Saúde, com conjunto com o Conselho Nacional de Secretarias Municipais de Saúde (Conasems), publicou o edital nº 18 com a intenção de preencher as vagas que estão abertas com a saída dos médicos estrangeiros. No entanto, a estimativa do Cosems é de que as Estratégias Saúde da Família dos municípios gaúchos ficarão sem assistência médica de novos profissionais por pelos menos 30 dias. O edital segue com inscrições abertas até o dia 25 de novembro para 2.800 municípios.

Escala de atendimento médico nas ESF’s Marilene e Rincão, em Candelária:

Bairro Marilene:

Segunda-feira: Período da tarde- Dr. Vinícius

Terça-feira: Período da manhã- Dr. Rodrigo

Quarta-feira: Período da manhã- Dr. Rodrigo

Bairro Rincão:

Terça-feira: Período da Tarde- Dr. Eduardo

Quarta-feira: Período da tarde- Dr. Eduardo

Quinta-feira: Período da manhã- Dr. Vinicius


Sobre o autor

Marcelo Müller

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: