Agronegócio Região dos Vales Rio Grande do Sul

Data para celebrar o produtor de tabaco Sul do Brasil possui 149.350 produtores de tabaco e todos fazem parte do Sistema Integrado de Produção.

Tabaco

Outubro 2018 – Comemorado no dia 28 de outubro, o Dia do Produtor de Tabaco é celebrado em diversos municípios onde a cultura é significativa nos aspectos econômico e social. Atualmente, há 149.350 produtores que fazem parte do Sistema Integrado de Produção de Tabaco (SIPT), uma prática pela qual há compromissos mútuos entre as indústrias e os produtores, com vantagens que permitem a sustentabilidade da atividade rural, especialmente em pequenas propriedades.

Além disso, as indústrias do setor mantêm programas direcionados ao bem-estar dos produtores e de suas famílias. Conforme o presidente do Sindicato Interestadual da Indústria do Tabaco (SindiTabaco), Iro Schünke, os produtores de tabaco são homens e mulheres que vão além da condição de base da cadeia produtiva. “São gestores de propriedades rurais, que plantam e colhem alimentos, criam animais, cuidam do meio ambiente e geram riqueza para os municípios e estados”, salienta.

E, recorrentemente, pesquisas e estudos confirmam a superioridade das condições de vida dos produtores. O mais recente estudo foi realizado em 2018 pela Tendências Consultoria Integrada, que analisou informações públicas confrontando dados de regiões onde há e onde não há produção de tabaco. As estatísticas novamente mostraram que os produtores de tabaco têm ganhos superiores à média nacional, além de mais anos de escolarização, e nas regiões produtoras há melhores condições de saúde e segurança.

Segundo o economista e analista da Tendências, Felipe Novaes da Rocha, no Rio Grande do Sul, em Santa Catarina e no Paraná os produtores de tabaco apresentam rendimentos superiores aos do conjunto da população desses mesmos estados. “O preço final do produto é elevado em comparação com outras culturas agrícolas e isso viabiliza que essas famílias permaneçam na atividade”, diz. “Onde o tabaco tem presença relevante, há indicadores melhores de bem-estar da população local”, acrescenta Novaes.

 

Informações do estudo Tendências

– Os produtores de tabaco apresentam uma renda média 64% superior ao conjunto da população geral.

– O preço do produto é elevado em comparação com outras culturas agrícolas e isso se torna ainda mais relevante considerando que a cultura do tabaco é predominantemente familiar e realizada em pequenas propriedades. Nos últimos 20 anos, o hectare plantado com tabaco apresentou aumento médio no rendimento de 2,4% ao ano. No mesmo período, a soja, por exemplo, teve aumento de 1,9% ao ano.

– O nível educacional dos produtores de tabaco é maior em relação ao dos demais produtores agropecuários do Brasil: 58,5% dos trabalhadores da cultura do tabaco ingressaram no ensino médio (com 33,7% tendo o fundamental incompleto e 3,5% com o fundamental completo), ao passo que esta porcentagem para os demais trabalhadores rurais do Brasil é de 33% (43,8% com o fundamental incompleto e 15,9% com o fundamental completo).

 

SAIBA MAIS:

• O Brasil é o 2º maior produtor mundial de tabaco, atrás somente da China;

• Na última safra foram produzidas 631.822 toneladas nos 289 mil hectares cultivados;

• A produção sustentável, com observância às boas práticas, faz com que o tabaco brasileiro esteja entre os mais procurados pelos clientes internacionais;

• Na indústria, são 40 mil empregos diretos e, no campo, 600 mil pessoas estão envolvidas com a cultura em 556 municípios da Região Sul;

• Na última safra, o conjunto de produtores recebeu uma receita de R$ 6,28 bilhões;

• O setor é responsável pela geração de R$ 13,9 bilhões em impostos arrecadados anualmente;

• O Brasil é o 1º no ranking mundial de exportações de tabaco em folha há 25 anos e responde por 30% das exportações mundiais;

• O Sistema Integrado de Produção de Tabaco é responsável por esta liderança, pois prima pela qualidade e integridade do produto, com assistência técnica e garantia de compra aos produtores;

• Em 2017, foram embarcadas 459 mil toneladas, com valor total de US$ 2,05 bilhões, para 94 países, sendo parte importante da balança comercial brasileira, assim como na geração de renda e empregos para centenas de municípios.

Fonte: Sinditabaco

Sobre o autor

Mariéle Gomes Gross

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: