Wed. Jan 19th, 2022



Baseado em uma peça de 1891 de Frank Wedekind, Spring Awakening é agora um musical de rock fascinante, embora ainda ambientado na Alemanha. Esta produção musical vem do livro e letras de Steven Sater, juntamente com música de Duncan Sheik. A peça explora a vida de adolescentes à medida que enfrentam os desafios da adolescência e do desenvolvimento da sexualidade, juntamente com as consequências da falta de educação dos adultos para as crianças. Sater e Sheik o transformam em um musical sombrio e espirituoso que recebeu grandes elogios, incluindo oito Tony’s, quando tocou originalmente na Broadway entre 2006 e 2009. É & hellip;

Avaliação



Imperdível!

Uma adaptação nova e inovadora de um musical aclamado pela crítica.

Avaliação do utilizador: Seja o primeiro!

Baseado em uma peça de 1891 de Frank Wedekind, Spring Awakening agora é um musical de rock fascinante, embora ainda se passe na Alemanha. Esta produção musical vem do livro e das letras de Steven Sater, junto com música de Duncan Sheik. A peça explora a vida de adolescentes à medida que enfrentam os desafios da adolescência e do desenvolvimento da sexualidade, juntamente com as consequências da falta de educação dos adultos para as crianças. Sater e Sheik o transformam em um musical sombrio e espirituoso que recebeu grandes elogios, incluindo oito Tony’s, quando tocou originalmente na Broadway entre 2006 e 2009. É um musical amplamente considerado um triunfo, e este a produção não é exceção.

O Almeida Teatro é um local que se orgulha de trabalhar com jovens atores e com Spring Awakening eles fizeram exatamente isso. É uma peça que mostra o tremendo talento do elenco, junto com uma encenação inovadora e imaginativa, coreografia sublime e belos arranjos musicais.

A peça começa com uma encenação que parece ser pouco mais do que um conjunto de escadas pretas com telas de vidro no topo, mas se torna muito mais conforme o show avança. O elenco desenha nessas escadas e nas paredes ao redor com giz, enquanto interage com as telas na parte de trás. Diretor Rupert Goold e coreógrafo Lynne Page usar com sucesso o espaço de forma criativa e extensa, incentivando o movimento que, posteriormente, demonstra a capacidade atlética impressionante do elenco. Esta encenação também funciona tremendamente na criação de movimentos nivelados e interessantes e interações com e entre os performers.

O que, na minha opinião, é o principal contribuinte para o sucesso do show estão nesses performers. Composto principalmente por jovens atores, o elenco encapsulou perfeitamente o tom da peça, encaixando-a maravilhosamente como um conjunto. Existem alguns nomes que se destacam que merecem reconhecimento adicional: Amara Okereke, cuja Wendla é perfeitamente ingênua, mas curiosa com grande desenvolvimento de personagem; Stuart ThompsonMoritz de ‘s captura a natureza ansiosa de seu personagem; Carly-Sophia Davies, como Ilse, não só tem uma voz impecável, mas ela a utilizou para tocar o público e, por fim, Laurie Kynaston como Melchior, um personagem que conduz o show impecavelmente.

Eu recomendaria este show para quem procura um musical bonito, versátil e maravilhosamente apresentado que priorize igualmente sua atuação, canto e dança. É engraçado, comovente, emocional e realmente me deixou sem palavras. Já pretendo ver isso de novo.

Livro e letras de: Steven Sater
Música por: Duncan Sheik
Reprodução Original por: Frank Wedekind
Dirigido por: Rupert Goold
Produção: Teatro Almeida
Coreografia por: Lynne Page
Direção musical por: Jo Cichonska
Cenografia por: Miriam Buether
Figurino por: Nicky Gillibrand

Spring Awakening em cartaz no Teatro Almeida até 22 de janeiro de 2022. Mais informações e marcação no link abaixo.



By admin