Eventos Região dos Vales Rio Grande do Sul Saúde

Candelária: Centro de Equoterapia inicia trabalhos neste sábado, 13

Equoterapia

Projeto idealizado pelo Grupo da Cavalgada da Mulher Gaúcha, será desenvolvido no Parque de Eventos Itamar Vezentini.

A comunidade candelariense está convidada para prestigiar na tarde deste sábado, 13, às 13h30, no Parque de Eventos Itamar Vezentini, a cerimônia de abertura dos trabalhos do projeto de Equoterapia, “Um novo caminho sobre patas”.

A proposta idealizada e desenvolvida pelo Grupo da Cavalgada da Mulher Gaúcha, conta com o apoio do executivo municipal, diversas pessoas voluntárias e entidades. Desta forma, semanalmente crianças e pessoas com alguma necessidade especial, receberão atendimento gratuito para o desenvolvimento motor e psicológico, benefícios comprovados cientificamente em terapias com o uso de cavalos.

Neste início de projeto em Candelária, a iniciativa beneficiará cinco crianças autistas da Associação Pró-Autismo Mandala de Candelária. A indicação pelo grupo ocorreu em função do mês de abril ser o mês de conscientização do autismo e também por que o primeiro cavalo disponibilizado e em condições de executar a terapia foi cedido por uma família integrante do grupo.

No entanto, nas próximas semanas o projeto deve se expandir com a chegada de mais animais e de novas parcerias na manutenção destes animais, o que possibilitará o atendimento de mais pessoas.

A avaliação das crianças e adolescentes indicados neste primeiro momento, passará também por uma triagem médica e avaliada por uma fisioterapeuta.

As sessões de equoterapia acontecerão aos sábados de tarde, também no Parque de Eventos em horários pré-agendados com as coordenadoras do grupo, e serão mediadas pela professora de educação física, Nádia da Rosa, além de outras pessoas voluntárias. Os treinos com o animal que será utilizado nos primeiros atendimentos iniciaram nesta semana.

Na condução da égua chamada Rebentona, a coordenadora da Cavalgada da Mulher Gáucha, Lurdes Menezes e no treino a mediadora Nádia da Rosa. Créditos: Matheus Haetinger/JC

De acordo com a coordenadora do grupo, Lourdes de Menezes, este é um projeto de muita importância em que o Grupo da Cavalgada demonstra não ser apenas um grupo tradicionalista, mas uma equipe de pessoas preocupadas com o bem estar social da comunidade onde atua e também reside.

Para o presidente da Mandala, Diumer Gomes Gross, o projeto torna realidade um dos principais sonhos da Associação que é contar com terapias de desenvolvimento no próprio município. “Estamos muito felizes com o início deste projeto, pois temos certeza que contribuirá significativamente no desenvolvimento das nossas crianças beneficiando diretamente na qualidade de vida de suas famílias”.

Ele reforça que a Mandala será parceira em cada etapa, incluindo a ampliação do projeto para crianças e pessoas com outras necessidades. “Queremos ajudar ao máximo, oferecendo auxílio no que o projeto estiver precisando, seja durante as sessões com voluntários, seja em mão-de-obra para manter o local ou no que precisar. Somos parceiros e temos a certeza que este é um marco na área de saúde em Candelária”.

Créditos: Matheus Haetinger/JC
Descrição: https://static.xx.fbcdn.net/images/emoji.php/v9/t6c/1/16/2764.png

EQUOTERAPIA: “UM NOVO CAMINHO SOBRE PATAS”


Equoterapia é um método terapêutico que utiliza o cavalo dentro de uma abordagem interdisciplinar aplicada nas áreas de saúde e educação, buscando o desenvolvimento biopsicossocial de pessoas com necessidades especiais.

Indicações: lesões neromotoras de origem encefálica ou medular, patologias ortopédicas congênitas ou adquiridas por acidentes diversos, disfunções sensório-motoras, distúrbios (evolutivos, comportamentais, de aprendizagem, emocionais).

Benefícios: Interação social, estímulo do cuidado, foco e atenção, estímulos sensório-motores, independência e autonomia, redução/amenizar sintomas, facilitação da aprendizagem, entre outros. (Retirado do flyer que está sendo distribuído pelo grupo).



Treino de movimentos que poderão ser executados pelas crianças. Créditos: Matheus Haetinger/JC

Sobre o autor

Mariéle Gomes Gross

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: