Notícias Policial Região Metropolitana Rio Grande do Sul

Boato faz população tentar invadir delegacia na zona Norte de Porto Alegre Populares atiraram pedras contra o prédio por acharem que preso por sequestro de criança estava no local.

18.10.23 - Boato faz população tentar invadir delegacia na zona Norte de Porto Alegre

Moradores tentaram invadir uma delegacia da Polícia Civil no bairro Mário Quintana, na zona Norte de Porto Alegre, na tarde desta terça-feira, 23. O motivo foi um boato de que um homem que havia tentado sequestrar uma criança estava preso no local.

A polícia informou que tratava-se apenas de um boato e que nenhuma tentativa de sequestro foi registrada no bairro nesta terça-feira. Apesar disso, os moradores seguiram insistindo em entrar no local, o que gerou momentos de tensão.

Alguns populares atiraram pedras contra o prédio, até mesmo quebrando alguns vidros das janelas. Para conter a multidão, policiais chegaram a dar tiros para o alto. A polícia aceitou negociar com o grupo para que dois representantes dos moradores entrasse na delegacia para confirmar que não havia nenhum preso no local.

O boato ocorreu após o caso da menina Eduarda Herrera de Mello, de nove anos, encontrada morta na manhã dessa segunda-feira após ser sequestrada enquanto brincava na frente de sua casa no bairro Rubem Berta, na zona Norte de Porto Alegre. A polícia ainda não conseguiu encontrar o responsável pelo crime.

No fim da tarde desta terça-feira, a Polícia Civil divulgou uma nota alertando que não há registros de outros casos de sequestro de crianças.

Confira a nota da Polícia Civil:

“Sobre as mensagens que estão circulando através de redes sociais, casos de sequestro de crianças, a Polícia Civil informa que, exceto no caso da menina Eduarda, não há outro registro de situações de sequestro e carcere privado de crianças.

A chefia de Polícia ressalta que todas as medidas estão sendo tomadas no diz respeito ao trabalho investigativo de Polícia Judiciária. Foram designados cinco policiais para prestar reforço à equipe de investigação da Delegacia de Polícia da Criança e Adolescente Vitima (DPCVA), além de policiais do Gabinete de Inteligência (GIE) que colaboram com as investigações. 

A Polícia Civil informa que não há suspeitos do sequestro da menina Eduarda presos em quaisquer dos órgãos da instituição. 

Após a divulgação do retrato falado a Polícia Civil recebeu mais de 20 denúncias, que têm sido muito importantes para a investigação, mas alerta-se que as denúncias devem ser repassadas exclusivamente à Polícia Civil e não divulgadas nas mídias sociais”.

Crédito da foto: Polícia Civil

Sobre o autor

Wesley Wierganowiez

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: