Brasil Região dos Vales Rio Grande do Sul Saúde

Autoteste de HIV vai ser distribuído no SUS em 2019 Segundo o Ministério da Saúde, os resultados não podem ser considerados um diagnóstico definitivo, por isso é necessário buscar um serviço de saúde para os testes complementares.

gt-teste-HIV

Durante os 30 anos de combate à Aids, o Brasil foi responsável por avanços no tratamento e pesquisas. Um dos principais motivos para celebrar, é a garantia de tratamento para toda a população, que reduziu 16% de casos e óbitos de Aids no país.

O resultado positivo é devido a ampliação do acesso à testagem e redução do tempo entre o diagnóstico e o início do tratamento. O autoteste faz parte dessa evolução. E, para somar aos avanços, ele vai ser fornecido pelo SUS a partir de janeiro de 2019, afirma Giberto Ochi, Ministro da Saúde.

“E os próximos passos, como foi apresentado, é termos possibilidade de oferecer para as pessoas o autoteste. Você ter a possibilidade de ter acesso a esse produto e não preciso ir a lugar nenhum, porque você mesmo faz o seu teste, e esse também é um dos avanços.”

Com o autoteste, a pessoa faz a sua própria amostra, seja pelo fluido oral ou sangue, e depois realiza um teste que é responsável por interpretar o resultado, seja ele reagente ou não reagente, como o de gravidez.

Mas, segundo o Ministério da Saúde, os resultados não podem ser considerados um diagnóstico definitivo, por isso é necessário buscar um serviço de saúde para os testes complementares. A partir de janeiro, vão ser distribuídas 400 mil unidades do primeiro autoteste de HIV. Inicialmente como um projeto piloto nas cidades de São Paulo, Santos, Piracicaba, São José do Rio Preto, Ribeirão Preto e São Bernardo do Campo, Rio de Janeiro, Florianópolis, Salvador, Porto Alegre, Belo Horizonte e Manaus. Para quem tiver acesso, na caixinha do autoteste, a pessoa vai encontrar um número 0800 do fabricante para tirar dúvidas. Este serviço vai funcionar todos os dias 24 horas. Mas, apesar do avanço no tratamento, a consciência para a prevenção é ainda a principal forma de evitar o HIV.

“A doença ainda não acabou. Então, precisamos ter a prevenção. É claro que estamos avançando no tratamento e isso é muito importante para todas as famílias, mas, mais uma vez, nós temos que ter a consciência da nossa população, que é necessário se prevenir. A opção é livre, mas se previna, é só assim que você vai evitar contrair a doença.”

Por isso, seja atento. É necessário que você faça os testes regularmente. Use camisinha e conheça as outras formas de prevenção combinada, disponíveis no SUS. Proteja-se. Trinta anos do Dia Mundial de Luta Contra a AIDS. Uma bandeira de histórias e conquistas. Saiba mais em aids.gov.br. Ministério da Saúde, Governo Federal.

Fonte: Agência do Rádio


Sobre o autor

Mariéle Gomes Gross

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: